RSS

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Gelado na ponta do nariz


Hoje pensei em ti... Larga e longamente.

Desejei-te tanto aqui... Para veres como estou.

Sabes? O tempo passou e já não tenho ninguém para me levar a passear, para comer gelados até ficar com a ponta do nariz suja... E principalmente, não há mais quem me diga "eia, quidinha, estás tão crescida." Quem tem razão são os outros, eu não estou crescida, sempre o fui.

Mas faz falta aquele teu ar com misto agridoce de espanto e felicidade por me veres crescer.

Cortaram-nos o caminho. Demorou tempo até me dizerem para onde te foram guiando os teus passos.

Dizia eu que queria ser arqueóloga e prontamente te apressaste a encontrar forma de me dar dinossauros, uns atrás dos outros...

E hoje o meu filho, aquele que tem o mesmo nome que tu, falou-me em dinossauros. Estivemos a brincar aos dinossauros, faziamos sons, fugiamos deles e assim, voltaram a ter magia...

Desejei tanto que com essa magia, pudesses ver os nossos bebés. Estarias infinitamente feliz... Porque eles seriam o mesmo que me são: o teu mundo.

Curioso como agora, sou eu quem lhes diz "estás tão crescido"... Eles estão imensamente grandes. Afinal, cresci mais.

Queria que os visses, que pudesses escutar as gargalhadas que são dadas a três e que viesses brincar aos dinossauros, outra vez. Só mais uma vez.

Quando o Henrique perceber, contar-lhe-ei a importância que os dinossauros têm para mim e para ti. Contar-lhe-ei quem eras, como eras, desejando que um avô dele(s), seja como tu para mim.

Porque a voz me treme com tantas saudades tuas, porque me rasgam estas mãos trémulas cheias de vontade de te abraçar...

Fico neste meu mundinho em que sorrateiramente vou tentando enganar a saudade de ti, com a crença que tu consegues vê-los, senti-los, escutá-los...

Daí, do teu pedaço de céu, vais viver comigo e com eles o primeiro passeio em que todos hão-de sujar a ponta do nariz, tal como eu fazia sempre contigo...

Tenho tantas saudades...

2 comentários:

KUUKA disse...

A saudade é um osso bem duro de roer...que tem tendência a crescer à medida que o tempo vai passando...
Bjs nossos!

Bela Andrade

Ana disse...

Lindo... também eu choro de saudades dos meus avós! Há lá pessoas que nos amem mais neste mundo??? Já comentei outra coisa tua, noutro sítio, em contexto diferente... adoro a maneira como escreves!

Enviar um comentário