RSS

quarta-feira, 11 de julho de 2012

"Coitadinhos."


Faz tempo que sair à rua é sinónimo de ter um sinal luminoso a piscar dizendo "olhem para nós".

Quando estava grávida era porque tinha um bebé pequenino e estava  grávida outra vez. A barriga não era grande, era enorme. Tão grande que carinhosamente lhe chamava de rotunda.

Desde que os cerejas nasceram, parece que o sinal para além de ser luminoso é fluorescente...

Toda a santa gente olha para nós... O que se torna tremendamente incomodativo.

Tento ser compreensiva por saber que poucos casais da nossa idade - ou mesmo nenhuns - tem três filhos com idades tão próximas.

Há pessoas que se aproximam de nós, um pouco a medo, para fazer perguntas. Há quem nos vá só desejar felicidades e perguntar os nomes dos ficha tripla.

Desde que fomos à televisão piorou. Falam para os meus filhos como se os conhecessem desde sempre... :S

As pessoas com as quais mais paciência tenho e fico a conversar o tempo que for preciso são as que têm já alguma idade. O impacto que pode ter o facto de estar com bebés (meus ou outros) e ver a simpatia deles pode dar-lhes algum alento. Pode não, dá mesmo. No final, ainda nos agradecem o tempo em que estiveram connosco.

Mas também há o outro lado.

Pessoas inconvenientes, que nos chamam de coitadinhos, fazem aquela pergunta estúpida "São gémeos?" - não, são não. engravidei de um e o outro é prenda de bom comportamento - pessoas que lhes mexem sem autorização ou lhes tiram a chucha só porque sim...

Eu percebo. A sério que percebo algumas coisas e até fico feliz.

Mas outras há que começam a encher. 

"Ai coitadinhos."
"O que é que vos passou pela cabeça?"
"Então, não tinham mais nada para fazer?"
"Já aprenderam a lição ou ainda vão ter mais filhos?"

Parece que pedimos alguma coisa a estas gentes, quando a única coisa que fazemos é o mesmo que elas: andar na rua ou no supermercado.

Tenho pensado nisto e até à dias, estava convicta que seria eu que deveria compreender as pessoas. Mas a verdade é que não estava certa. São eles que devem entender que eu e os meus temos o nosso espaço que deve ser respeitado. São eles que têm que passar a ser bafejados por aquela coisa que se chama de boa educação.

Não tive os meus filhos todos para que fossem semelhantes a um mostruário quando saímos à rua.

E coitadinha...? Tenho imensos defeitos e qualidades, mas "coitadinha", não é, de todo algo que se adeque à minha pessoa nem aos meus filhos.

Que nérbios!!!


2 comentários:

Isa disse...

Sendo assim... com tres ja estas despachada. ahaha love you Isann

Sofia disse...

Despachadíssima, por sinal.

Enviar um comentário