RSS

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Voa


Faz-se tiro ao alvo para medir culpas, razões e porquês.
Acabam-se os "ses"! Acaba-se a incerteza!
Mas fica a mágoa latente e a loucura que insiste em não fechar a porta...

E ao vento atira-se assim, num bater de asas de uma borboleta, o amor...
O amor! Ai o amor de que os poetas falam, cantam e rezam...
O amor que diz aguentar tudo!
Que amor é esse que sentes andar aí? Amor resignado e desamparado...

Assim, vou eu para o trapézio, sem nenhuma rede, amparo ou chão. Faz tempo que o chão se me foi tirado e me deu o trapézio.
É chegada a hora de levantar os braços ao alto e aceitar a derrota. O amor, o tal, não vence tudo! Mas deixa o teu cheiro a saudade aqui... Em mim...

Este amor desmedido, maior que aquele dos poetas, recorda-me o quão especial e importante me és.
E enaltece o nosso castelo que já foi cheio de luz, harmonia e felicidade... Transformando-se em areia, acabando por ser arrebatado por esta tempestade incontrolável e severa...
Trás a ternura dos nossos gestos largos, das nossas palavras e do que fomos um dia.
Deste tal amor que os poetas não ousam pensar como é, ficam sempre, para sempre três seres de felicidade. Ao jeito do que fomos e deixamos escapar-nos das mãos, do peito e do ser.

E é com este amor desmedido que me é transbordante que ecoas em mim e te agradeço tudo!

Obrigada, meu amor pelas batalhas ganhas e conquistas tidas.

Obrigada, meu grande amor, por Mo teres mostrado - o tal Amor.

Amo-te tanto...

Voa! Vai voar.

Que sejas feliz. Imensamente feliz!

2 comentários:

Tinita disse...

:( Admiro-te ainda mais agora pela tua capacidade de aceitar o fim! Eu já estive perto desse fim e não o aceito! Não consigo suportar a ideia dos castelo sem o rei...
Ainda bem que tu consegues... Dizem que amar é deixar ser a outra pessoa feliz... Boa sorte amiga, tens-me aqui, como sabes... SEMPRE! Qualquer coisa que precises diz... Um beijão muito grande

Sandra disse...

Fi...não tenho palavras que te possam animar, nem abraços suficientes para te fazer sorrir...mas tenho um coração enorme para te confortar! Aceitar o fim não é fácil, mas demonstra um grande altruísmo e um amor sem fim...só espero que ele o (re)veja e possam reconstruir o vosso castelo lindo outra vez!
Beijins mil, Fi!

Enviar um comentário