RSS

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Nasceste-me-nos

"Mamã!" disse ele, "olá, meu bom!" respondi eu!

Trocámos os nossos mimos, entre partilhas de olhares cumplices, festas de regozijo...

Colo, muito colinho, pediu ele pela manhã. Eu acedi e mimei-o como devia ter feito há um ano atrás...

Há um ano atrás começava esta longa viagem a que chamam ser mãe. Ser mãe, ter um filho. Nasciam um filho, uma mãe, um pai e uma nova família - a nossa!

O filho a quem hoje abracei e chorei por relembrar todo o sofrimento pelo qual passámos para que ele nascesse, para que tudo estivesse sempre bem com ele...

O filho que todos os dias me presenteia com a sua boa disposição...

O filho que cresce ao meu lado, que me mima a cada momento...

O filho que é o meu pequeno grande mundo!

As dores, essas não esqueci... Por esta hora, há um ano, estava a gritar... A chorar... A pedir ajuda a todas as divindades em que acredito... A pedir ajuda de forma desesperada!

Este ano, falo novamente com as mesmas divindades e agradeço-lhes o filho que de deram, que tenho e peço-lhes em susurro que o protejam sempre.

E hoje, é dia de celebrar, agradecer e de gritar, novamente.

Dia de ver o arco-íris que o Henrique tem consigo, todos os dias desde que nasceu...

E agradecer ao meu filho por me ter escolhido como sua mãe, de dizer-lhe num murmúrio... Num murmúrio infinito que o amo...

Parabéns, meu filho!

Que sejas feliz! E que um momento de felicidade dure para ti, uma eternidade!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Tenho tantas saudades tuas...



Gato que brincas na rua

És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.

Fernando Pessoa