RSS

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Um pouco, só um pouco!


Ando em busca de um pouco de mim...
Um pouco que ao fugir se perdeu em ti e por ti...
Um pouco que não julgava ter... que já não tenho.
Sei que já esteve em ti, mas... lentamente vais deixando que ele escape de ti...
Por isso, o pouco da ténue e fina linha da ternura que existia entre nós, vai-se dissipando dos dois. Tu não o sentes e eu já não o controlo mais...
É um pouco que hoje é um tudo em mim!
Busco-me em cada sorriso que rasgámos juntos, em cada lágrima a espreitar nos olhos de ambos em sintonia, em cada grito de prazer dado em uníssono cada vez que nos amávamos...
A perda é irreversível! Perdi-me! Perdeste-me! Perdi-te!
Apenas existimos um para o outro como memórias... recordações... talvez saudade!
A tua voz ainda sussurra ao meu ouvido...
O teu cheiro ainda se sente nos meus lençóis, na minha roupa, no meu corpo...
Os teus olhos ainda sorriem com o brilho que possuem ao olhar para mim...
Os teus beijos ainda sabem a Amor...
Por vezes as tuas mãos ainda me tocam, moldando-se às formas do meu corpo...
Mas tu... tu já não estás aqui... Tudo isto são apenas saudosas recordações de momentos já passados...
E eu... eu estou cada vez mais longe de ti, porque insistes em banir-me do teu pensamento...
Busco-me e não me encontro... perdi-me! Se não me encontrar, irei seguir o trilho certo? Irei esquecer tudo o que me ensinaste?
Mas... se não me esconder, o que irei procurar?
Ando em busca de um pouco de mim...
Um pouco que hoje é um tudo em mim...
Um pouco que ao fugir se perdeu em ti e por ti...
Um pouco que é meu! É teu! É de todos! E afinal não é de ninguém!

Sem comentários:

Enviar um comentário