RSS

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Os dias que passam

"Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia, não há nada mais simples! Tem só duas datas — a da minha nascença e a da minha morte. Entre uma e outra coisa todos os dias são meus." Alberto Caeiro

Será que é mesmo assim? Se assim é, porque sinto necessidade de partilhar os meus dias?

Filho, vais partilhar comigo os teus dias? Que é de mim, se não há partilha...?

Obrigada por lerem os meus dias, aqueles que deveriam ser só meus e se transformam nos nossos dias, como que por magia!

1 comentário:

Melissinha disse...

Olá, Sofia, vi um post teu no demaeparamãe, tenho coisas de rapaz, manda-me um mail para melissalyra@gmail.com e conversamos.
beijinhos!

Enviar um comentário