RSS

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

E numa noite, disse-to eu a ti, em murmúrio

Envolve-me em teus braços…
Abraça-me
Abraça-me e olha para mim!
Enquanto me dispo só para ti…
Tiro a roupa, dispo os meus medos, mato as máscaras que tenho…
Fico nua, vulnerável…
À espera dum toque, dum beijo…
Não… não espero um toque, não espero um beijo…
É a ti que espero! Ao teu toque e ao teu beijo…
Finjo que não te quero… finjo ser calma como a água… finjo não seres importante… finjo não querer que fiques… finjo não me importar… finjo… finjo…
E se te disser que sim?
Que me importo? Que não quero estar, mas ficar?
E se te disser que quero acender estrelas no céu contigo?
Vem no meu sonho e diz que me queres tanto como eu a ti…
Vem no meu sonho e olha-me como eu te olho… verás as minhas fraquezas…
As fraquezas que chorei e tu beijaste…
Vem porque te quero sentir enquanto escrevo…
Vem no meu sonho, acende velas… incenso… despe-nos e ama-me durante um dia, uma noite… durante o nosso instante…
Vem para mim porque a paixão entranha-se cada vez mais em mim…
Vence os teus medos, fraquezas e vem…
Vem porque me quero perder em ti… por ti… perder-me em cada palavra tua, em cada toque teu, em cada sorriso teu…
Vem porque tenho mil e um sonhos para te ter…
Vem porque as horas sem ti, as mãos vazias de ti me comem o peito…
Vem porque te quero… porque não tenho medo… porque te quero… AMAR…

Sem comentários:

Enviar um comentário